Patrick Henrique

Path (pronúncia Péth) tem 22 anos, mora em São Paulo e sempre teve uma relação estreita com a arte. Seu primeiro contato foi através da música, começou observando a fanfarra na época de escola, isso quando criança. Sempre que acabava a aula, ele ficava admirando a sonoridade e agilidade que os meninos tocavam caixinha. Tempos depois ele entrou pra fanfarra e ganhou alguns instrumentos do seu pai (violão, trompete, bateria). Hoje estuda teatro e ouve musicas o dia inteiro.


- Como é o seu dia a dia?
É engraçado e intenso. (risos) Falo isso porque moro no prédio em que trabalho. Sempre depois do trabalho faço um lanche em casa e volto pra agencia, gosto de ficar até mais tarde passando alguma cena no estúdio ou ouvindo musicas, lendo livro. Toda semana gosto de ir pelo menos uma vez no parque andar de long e jogar basquete com os amigos.

- Qual é o tipo de pessoa que você gosta de lidar?
Eu não gosto de aparecer. Gosto quando a pessoa observa a vida comigo, quando ela consegue enxergar a diversão nas coisas simples, gosto de pessoas com qualidades e personalidades próprias, que usa uma roupa não porque está dentro dos padrões da moda e sim porque aquela roupa mostra sua identidade.

- Existe algum motivo em especial para esse tipo de pessoa ser ideal para você?
Sim. É muito difícil eu conhecer uma pessoa assim e não me tornar amigo, esse tipo de pessoa geralmente me tranquiliza, me faz sentir muito mais livre. Nada na vida pode ser tão ruim quando se tem pessoas assim ao lado. A sensação é de liberdade, de topar qualquer coisa sem pensar nas consequências, porque na verdade não há consequências.

- Você está namorando alguém no momento ou está disponível?
Não. Não estou namorando. 


- Você tem alguma qualidade que chame atenção?
Sei lá. Eu não me importo em chamar atenção, gosto de ser eu mesmo. Acho que é mais fácil pra mim descrever as qualidades dos meus amigos do que as minhas próprias. (risos)

- Sobre sonhos a realizar. Você tem algum?
Eu não gosto dessa expressão "realizar sonhos", ficar sonhando. Gosto de deixar as coisas fluírem naturalmente, sem criar expectativas. Estou satisfeito com os amigos que tenho e com o teatro, sinto as vezes muita falta de casa, da família e dos amigos. Queria poder ver eles com mais frequência.

- Tem medo de ficar sem?
Humor.

- Um livro?
Atualmente estou lendo "A hora dos assassinos" - Henry Miller (Um estudo sobre Rimbaud)


- Um ídolo?
Caetano.

- Uma frase?
O amor como a arte deve ser sempre livre.

- Brasil?
Tropicália.

- Um site?


- Eu amo?
Comida japonesa.

- Uma música?

- Primeiro beijo?
Foi bom, mas poderia ser melhor! (risos)

- De Patrick para Patrick. Quem é Patrick Henrique?
Eu sou eu. Um eterno apaixonado pelo teatro e música.



Acompanhe o Path: FacebookInstagram


Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário: