Por que decidi tirar minha primeira habilitação aos 21?

 
"Habitação é independência e liberdade". Cansei de ouvir isso sempre que revelava que não tinha CNH e, mais do que isso, que não queria ter habilitação. Nunca senti que estava perdendo a minha liberdade por não ter um automóvel. Ando de bicicleta, caminho, pego ônibus e táxi numa boa. Mas eis que, aos 21 anos, precisei revisar minhas opções.

Quando os compromissos - da casa, do trabalho, ter que viajar todos os dias para a cidade vizinha onde eu moro e depois voltar para ir para a faculdade em outra cidade, enfim, da vida - começam a acumular e a causar desconforto ao sentir dependente dos outros, dirigir resolve uma parte dessa encrenca.

Antes da carteira, o que me chamou a atenção quando me mudei para o interior de São Paulo foi a atitude dos adolescentes ao completar 18 anos, porque no dia seguinte começavam a preparar-se para tirar sua primeira habilitação. Ok, sei que você irá pensar que é a hora de tirar a carteira de motorista. Entendo que este é um dos principais desejos dos jovens ao atingir essa idade. Nesta fase começamos a nos imaginar dirigindo livremente de um lugar a outro, dando carona para os amigos indo às festas sozinhos. Mas por que tanta euforia por causa de algo que mais tarde se tornará até mesmo comum em nosso dia-a-dia?

Chega uma hora que não dá mais pra ficar dependendo dos pais, irmão ou amigos para te levar e buscar em algum lugar. Foi assim que respirei fundo e resolvi que já era tempo de somar carro e moto ás opções. Enfrentei insegurança e um pouco de medo. O processo para receber a habilitação está mais difícil do que quando eu tinha 18 anos. Especialmente quando você tem uma vida atolada até o pescoço de compromissos.  

Entre aulas teóricas, marcação de testes, aulas práticas e, finalmente, o exame, levei quatro meses para tirar a PPD (Permissão Para Dirigir).

Demorou mais tempo do que o habitual, porque eu tinha que fazer uma aula por dia antes de ir trabalhar, já que a noite eu fui para a faculdade.

Fui aprovado de primeira. Agora, é preciso tomar muito cuidado com toda esta empolgação. Tudo o que é em excesso é perigoso, com a euforia não seria diferente. É claro que tirar a CNH é algo bom, ou melhor, podemos fazer com que seja bom. Para isso basta ter consciência.

   SOBRE A LIBERDADE QUE A HABILITAÇÃO TRAZ?    


Sempre preferi o improviso ao planejamento. Sair sem rumo é muito melhor. Embora o destino final de uma viagem seja a cereja do bolo, não podemos deixar de reconhecer, porém, que o bolo todo é muito bom. A oportunidade de pegar a estrada nos proporciona diversas pequenas experiências que, quando devidamente aproveitadas, garantem uma nova dimensão ao estilo de vida estradeiro.

   O QUE SE LEVA DA VIDA É A VIDA QUE SE LEVA!   

Dirigir é tão bom quanto chegar lá. Na estrada e na vida.
E você? Pergunta "já chegou" ou curte a estrada, sua companhia e o bom som?




ESCRITO POR:
Elissandro Persil  é fundador do About Jovem, acredita que viver é bom, viver conectado é melhor ainda. Aos 21 anos, o pernambucano que atualmente reside no interior de São Paulo, trabalha em uma multimarca, é estudante de Publicidade e Propaganda, divide seu tempo com colaborações em outros sites e blogs. É entusiasta do compartilhamento de conhecimento e da interação com seus leitores.
http://facebook.com/elissandroo  https://twitter.com/elissandroo 
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário: