Análise sobre Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1

O Eli em 'chamas', sqn! Só alegria no cinema!

"Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1" mostrou a que veio logo de cara. Foi a maior estreia do ano nos Estados Unidos: mais de US$ 120 milhões em três dias. E no Brasil outro recorde, de público: quase 2 milhões de espectadores só no primeiro fim de semana.

Cartaz de Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1

É a força dos fãs, vorazes para ver logo a conclusão do épico. Jogos Vorazes conta a história de uma guerreira que luta contra o corrupto governo central de Panem, um país dividido em distritos escravizados pelo presidente Snow.

Presidente Snow In The Hunger Games: Mockingjay Parte 1

Mas quem quiser ver o final dessa história vai ter que esperar mais um ano. Como já está se tornando tradição nas sagas adolescentes adaptadas para o cinema, o filme foi dividido em duas partes. A segunda, só ano que vem.

Foi assim com os últimos filmes de “Harry Potter”, lançados em 2010 e 2011. E com a saga “Crepúsculo”, que também teve o final dividido em dois.

Mais dinheiro para os estúdios, mais filmes para os fãs e mais trabalho para os atores, que para fazer os dois filmes de uma só vez ficaram oito meses gravando.

“É um grupo incrível de se trabalhar”, conta Jennifer Lawrence. “A gente esquece que está com atores que a gente sempre admirou porque eles são tão normais no dia a dia”, completa.

“Eles já fizeram tantos filmes e estão nisso há tanto tempo, mas ainda estão cheios de gás. Isso é inspirador”, conta o galã Liam Hemsworth, que no filme faz o melhor amigo de Katniss. Uma amizade que se repete na vida real.

Liam Hemsworth em cartaz de The Hunger Games

Os fãs aprovaram. No mundo todo, o filme já rendeu meio bilhão de dólares. Isso porque os críticos disseram que tinha diálogo demais e ação de menos. Uma estratégia para deixar o público querendo mais? A gente só vai saber no ano que vem.
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário: