SEGUNDO DIA DE SPFW VERÃO 2015





ALEXANDRE HERCHCOVITCH

Marca: Alexandre Herchcovitch

Direção criativa: Alexandre Herchcovitch

Styling: Mauricio Ianes

Beleza: Celso Kamura

Trilha: Max Blum

Direção de desfile: Roberta Marzolla

Inspirações: Marilyn Monroe

Materiais: Linho com algodão, couro, sarja de lã, denim, organza bordada, crepe, cetim duchese, seda rústica, gabardine, cashmere de seda, crochê bordado, tyvek, neoprene e látex.

Cores: Rosa, vermelho, coral, tons de azul, off white

Highlights: Mais uma bela apresentação comandada pelo maestro Alexandre Herchcovitch. Enquanto as modelos passavam no amplo espaço da Oca, no parque Ibirapuera, era claro que havia um feeling 50’s no ar, mas nunca o nome Marilyn Monroe cruzou minha mente. Mas quando o próprio estilista me conta sua inspiração, tudo faz sentido. E essa é a delícia de assistir aos desfiles de Herchcovitch: você nunca imagina o que pode ser, mas quando suas referências são reveladas, tudo está em seu lugar certo. “Como eu não pensei nisso?”, nos perguntamos. O desafio aqui foi transformar esse tema, fortemente associado a sensualidade, feminilidade e exuberância em uma imagem à la Herchcovitch. “A Marilyn tem códigos muito óbvios, como pink e brilho, e transformar esses códigos é que é o difícil”, ele conta. A sexualidade, o brilho, o pink e a feminilidade estão claramente presentes, mas com a assinatura de Alexandre, o que faz a imagem de uma estrela icônica ser revista com novos olhos, longe da obviedade e dos clichês. Os vestidos, casacos e calças têm as formas e cortes a que estamos acostumados, com uma mistura inusitada de materiais. É só ler a lista acima e ver as fotos dos desfiles para perceber que praticamente cada look tem um tecido diferente. Do algodão ao látex, passando pela seda e o denim, a coleção é uma ode às possibilidades de materiais que uma roupa ou um look pode levar. Peças preferidas: são lindos os casacos-capas em látex, e os casacos em cashmere com cristais, tão leves. O vestido pink em lã fria usado por Daiane para fechar o desfile, a saia e a calça de vinil e a brincadeira com o laço, que sai da cintura e aparece deslocado em delicados spencers de crepe de lã. Vale lembrar que há um esforço na parte de acessórios, com muitas opções de bolsas e sapatos, dia e noite. Uma Marilyn contemporânea, sem os remédios. É o lado bom da loucura que está vivo aqui.




PAT PAT’S

Marca: Pat Pat’s

Direção criativa: Andrea Viera

Styling: Felipe Veloso

Beleza: Marcos Proença

Trilha: Harley Viera Newton

Inspirações: A vida de Harley Viera Newton

Materiais: Couro em diversas cores e texturas; renda com pedrarias

Cores: Coral, off white, nude, dourado, rosa e tons de azul

Highlights: Andrea mostrou uma evolução desde sua estreia na temporada passada. Com um desfile no saguão do hotel Unique, ela mostrou 23 looks que traduzem o estilo de vida de sua prima Harley Viera Newton, com saias curtas, calças justas, tops cropped e uma boa série metalizada. Em sua viagem de fim de ano, Andrea foi para Los Angeles passar um tempo na casa de Harley e notou que a prima tem um estilo mais casual, está sempre de cabelo solto, usa pouco salto e ainda assim exala glamour. Sua viagem continuou para Tulum, Rio e Punta Del Este, onde ela notou o mesmo despojamento. Esse estilo de vida relax & cool do jet set foi desfilado ao som de hits de Lorde e Sky Ferreira, em uma apresentação pop e com destaque para o trabalho em couro (especialidade de sua mãe, Patricia Viera), especialmente os metalizados fortes azul e rosa, em Barbara Cavazotti e Carol Prates, com os óculos espelhados da marca Lema 21. A coleção certamente vai falar com uma consumidora jovem e com gosto por moda.




PATRICIA MOTTA

Estilo: Patricia Motta

Assistente de estilo: Danielle Porcino e Raira Ramos

Diretor de desfile: Ruy Furtado

Stylist: Renata Correa

Beleza: Silvio Giorgio

Trilha: DJ Bitt

Cores: Limão, pitaia, jabuticaba, lichia e pitanga

Highlights: Em sua segunda participação no SPFW, Patricia Motta suaviza a imagem de sua marca, mas continua a impressionar com a habilidade de manuseio da matéria-prima que é sua especialidade: o couro. Inspirada “em cores e formas, em flores e sabores”, a estilista apresenta um Verão 2014/15 deliciosamente leve, com uma cartela de cores que levam nomes de frutas. A silhueta é lady like, com cintura marcada e saias amplas de vários comprimentos – mas o uso de zíperes bem aparentes ajuda a atualizar o mood da coleção. Foram em momentos de reflexão debaixo de uma pitangueira que surgiram as graciosas estampas da temporada, em vários tamanhos. Além dessas formas aquareladas e dos degradês preto e branco, o couro funciona como tela em branco para experimentações em texturas, como a de linho; e os recortes, como no vestido de noiva com desenho vazado de renda.




GIULIANA ROMANNO

Estilo: Giuliana Romanno

Styling: Pedro Sales

Direção de desfile: Zee Nunes

Trilha sonora: Max Blum

Beleza: Silvio Giorgio

Cores: Laranja, rosa Pink, nude e preto; lamê em azul e cobre

Highlights: Giuliana Romanno fez uma bela estreia no SPFW, com uma atitude confiante de quem sabe bem a imagem que quer passar, sem precisar recorrer a invencionices de passarela. Clean e chique, o Verão 2014/15 da marca tem como ponto de partida a cidade de Paraty e seus traços históricos, inspiração que em nenhum momento aparece de forma literal. Mais “visível” talvez seja a ótima cartela de cores, que remete à areia da praia, ao sol e ao mar (na primeira parte da coleção, a mais linda), com referências urbanas da metade pro fim do desfile, que tem brilhos e tons escuros. Aqui, quanto mais simples, mais elegante. Ponto também para os acessórios geométricos, que casaram muito bem com a coleção.




VITORINO CAMPOS


Marca: Vitorino Campos

Direção criativa: Vitorino Campos

Styling: Michel Vendola

Beleza: Fabiana de Fátima para M.A.C (make) e Evandro Angelo para C.Kamura (cabelos)

Trilha: Max Blum

Inspirações: Buraco negro

Materiais: Cetim duchese, organza texturizada com lurex, neoprene bordado, organza tech, ottoman (tecido feito de seda, normalmente usado para roupas formais de festa) e seda.

Cores: Preto e off white com pontos de luz estratégicos

Highlights: Mais uma coleção vibrante do jovem Vitorino. Como na temporada passada, Cris Herrmann abre o desfile com um look inteiro preto, puxando uma série de modelos com looks negros, que pisavam forte e com energia. Para fazer uma coleção escura para o verão, Vitorino se valeu da leveza de materiais, como a organza, e das formas, que são simples e descomplicadas. Paletós-vestidos, vestes de alcinhas e mantôs de verão texturizados com lurex são os destaques da “parte preta”. De repente entra a série clara/transparente, igualmente bonita, com vestidos de organza tecnológica que revelam cores, como no look de Vivi Orth, com a calcinha de lycra coral ou o manteaux e bermuda com camiseta estampado em Sofia. São lindos e modernos os momentos de sobreposição que vemos em Alícia. Com formas simples e riqueza de texturas, Vitorino vai abrindo seu caminho com uma linguagem contemporânea e que passa longe de qualquer buraco negro. Seu caminho está direcionado para a luz.





TRITON

Marca: Triton

Direção criativa: Karen Fuke (feminino) e Igor de Barros (masculino)

Styling: Daniel Ueda

Beleza: Robert Estevão (make) e Silvio Giorgio (cabelo)

Trilha: Max Blum

Direção de desfile: Ruy Furtado

Inspirações: O vilarejo de Positano, na Costa Amalfitana

Materiais: Organza bordada, tweed, seda estampada no feminino; linhos bordados, cambraia, lã tropical e jeans no masculino

Cores: Rosa, pêssego, ouro, laranja, cáqui, prata, azul

Highlights: A Costa Amalfitana é um dos lugares mais lindos do mundo. Pelas mãos de Karen Fuke e Igor de Barros, essa inspiração naturalmente se transforma em looks de sonho para um verão fresco, vibrante, confortável e – por que não – romântico. Tanto no masculino quanto no feminino há uma desconstrução inteligente da alfaiataria, um exercício de volume e movimento, ótima pesquisa de materiais e uma cartela de cores especial, com uma mistura leve e muito equilibrada de cáquis com azuis e rosas, com fios de ouro arrematando algumas combinações. Nós já falamos em outras ocasiões e vale reafirmar: Karen e Igor compartilham um astral que exala juventude em toda sua plenitude: em cada peça de roupa, na atitude dos modelos na passarela e, claro, na trilha, ao som de hits do projeto sul-africano St. Lucia e “Johnny and Mary”,  na versão de Todd Terje com o vocal irresistível de Bryan Ferry.




Nesta publicação está faltando apenas o REVIEW Uma Raquel Davidowicz, em breve será atualizado!

TERCEIRO DIA DE SÃO PAULO FASHION WEEK VERÃO VERÃO 2015
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário: