A evolução da beleza: 1960


Sexta parte da série "A evolução da beleza" começa no ano de 1960: A geração que nasceu no período pós-guerra agora busca ideias frescas. Os chamados Swinging Sexties ditam tendências em todos os domínios, dentre os quais a beleza e a moda. O forte movimento hippie é marcado pelo visual desleixado. Os cabelos longos - para homens e mulheres - são enfeitados com flores ou tiaras de fibra natural. Aparentemente despretensiosos, os jovens agora discutem temas complexos, como questões ambientais e emancipação sexual. As "mulheres violão" não resistem até a segunda metade do século e logo abrem espaço para as franzinas. Em londres, a estilista Mary Quant lança a abusada minissaia. É ela também que, em 1966, apresenta a primeira supermodelo ao mundo: a magérrima Twiggy. A jovem sardenta de 1,79 metros de altura e 45 quilos usa os cabelos bem curtinhos e quase nenhuma maquiagem. No Brasil, a minissaia mais famosa é da cantora Vanderleia, muito copiada pelas jovens; os garotos preferem as madeixas longas de Ronnie Von ou corte tigela dos Beatles, que arrebatam multidões ao redor do mundo.

A marca registrada de Twiggy são os cílios inferiores pintados

Movimento hippie: é proibido proibir

Maty Quant: moderna e visionária

Fãs dos garotos de Liverpool descansam na praia

Confira a publicação anterior da série "A evolução da beleza: 1950"

Todo sábado, uma nova publicação!

Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário: