A evolução da beleza: 1940


Quarta parte da série "A evolução da beleza" começa no ano de 1940: Com o início da Segunda Guerra Mundial (1939 - 1945), Nova York é alternativa aos que fogem da Europa sombreada pelo nazismo. As pin-ups chegam para animar os soldados, e a mais bela entre elas, Betty Grable, ganha o título de namoradinha dos oficiais. Verônica Lake dita moda ao exibir longas mechas onduladas sobre o rosto. O penteado faz sucesso, mas é proibido nas fábricas - uma forma de evitar acidentes em máquinas. O foco agora está nos cabelos: coques, chapéus, turbantes e redes enfeitam as cabeças. Para conquistar efeito enrolado e frisado, mulheres lançam mão do permanente: primeiro, as mechas são embebidas em uma solução amoniacal, e, depois, ligadas por fios a um aparelho aquecedor elétrico. No final da década, Christian Dior anuncia a volta da feminilidade com a criação de New Look.

A musca Betty Grable

Christian Dior com suas modelos

Verônica Lake no melhor estilo fatal

Sacrifício para ondular as mechas

Confira a publicação anterior da série "A evolução da beleza: 1930"

Todo sábado, uma nova publicação!
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário: