A evolução da beleza: 1920




Segunda parte da série "A evolução da beleza" começa no ano de 1920: Com o fim da Primeira Guerra Mundial (1914 - 1918) a década nasce fervilhante. O espartilho é definitivamente aposentado e uma nova peça chega às lojas, a combinaison. Inspiradas por Coco Chanel, milhares de mulheres correm aos salões e cortam as madeixas. Para os cabelos, mais novidades: técnicas de ondulação progridem, a L'Oréal lança a primeira linha de tinturas para fios grisalhos, e vendendo um visual mais saudável, chega ao mercado o creme de tratamento Biorene. No nécessaire, apenas ruge, rimel, pó facial e batom, que desenha boquinhas de coração. Poucas moças de família ousam aplicar maquiagem nas pálpebras e, mesmo assim, sonham com sombras, máscaras para cílios e o recém-lançado curvex. Cirurgiões ensaiam procedimentos estéticos. Em Hamburgo, um farmacêutico cria o creme Nívea e propaga os benefícios da hidratação facial.

A elegância de Coco Chanel


Caixinhas inspiradas no art nouveau

A atriz Louise Brooks exibe cabelos bem cuidados e o corte sensação à la garçonne

Combinaison é mais prática para o cotidiano


Curvex causa frisson entre as mulheres

Confira a publicação anterior da série "A evolução da beleza: 1910"

Confira a continuação da série "A evolução da beleza: 1930"

Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário: