Quinto e último dia de São Paulo Fashion Week INV/2014

Marca: Reinaldo Lourenço

Direção criativa: Reinaldo Lourenço

Styling: Reinaldo Lourenço e Thiago Biagi

Beleza: Ricardo Rodrigues para Studio W (cabelo) e Fabiana Gomes (maquiagem)

Trilha: Max Blum

Inspirações: A atitude e o estilo das francesas; glamour displicente; kitsch x cool; anos 1980 x 1920; clichês do luxo: dourado, leopardo, sandálias com meia fina

Materiais: Lamê de seda, cetim de seda, organza, tule, musseline, gabardine de lã

Cores: Preto, offwhite, ouro, prata, vermelho e pink

Highlights: “Estava em Paris quando decidir retomar meu desfile. Pensei: o que vou fazer? É isso, o estilo da parisiense”. Foi assim o início da coleção de inverno de Reinaldo Lourenço. Ao lado dessa atitude cool, com muitas saias lápis, ele inseriu uma dose de kitsch com dourados e prateados que pontuam a coleção em cintos, bolsas e sapatos e chegam ao seu ápice no momento final, com os lindos vestidos de lamê aplicado ao tule (Reinaldo contou que este é um trabalho manual que levou cerca de quatro dias para finalizar). As fitas de tecido aplicadas em diversos looks têm o DNA de Lourenço na veia e provocam efeitos gráficos interessantes. É o brilho x o fosco, o leopardo x discrição, o preto x o pink e a exuberância do prata e do ouro x a atemporalidade do branco. Na cintura, assim como Pedro Lourenço, Reinaldo colocou basques sobre as calças e saias, criando um movimento na silhueta.



Marca: Amapô

Direção criativa: Carô Gold e Pitty Taliani

Styling: Equipe Amapô

Beleza: Ricardo dos Anjos

Cenário: Gustavo Menegazzo

Trilha: 2Horsemen (Rabih Aidar e Felipe Graça)

Inspirações: Universo sertanejo, interior, caipira

Materiais: Foco no trabalho com couro e jeans

Highlights: “De que me adianta viver na cidade / Se a felicidade não me acompanhar / Adeus, paulistinha do meu coração / Lá pro meu sertão eu quero voltar”… Uma das melhores coleções da marca nos últimos anos, que se inspira na cultura caipira, um universo ainda ingênuo, romântico e brasileiro. A trilha, claro, foi um mix de canções sertanejas. “A gente tá com uma pegada rural, então é tudo que envolve interior mesmo”, contou Pitty antes do desfile. E essa viagem fez bem às meninas, que não deixaram o bom humor, as estampas e a hi-energy de lado, mas mostraram o produto com foco com uma coleção madura e com ótimas opções de jaquetas e calças. Ao contrário de algumas coleções, em que as ideias, os sonhos e a liberdade falavam mais alto, aqui Pity e Carô mostram identidade de marca com peças que se comunicam mais diretamente com o público. Ideias e sentimentos que se desdobram em peças usáveis, confortáveis e acolhedoras, como os casacos tipo moletom com padronagem de pele de vaca, os ótimos jeans (masculinos e femininos), os vestidos leves do início e o poncho desejo master do new face Igor Fonseca. As meninas têm sua legião de seguidores, fãs de sua estética livre e vibrante, e com desfiles assim, esse grupo só deve aumentar.



Marca: Alexandre Herchcovitch

Direção criativa: Alexandre Herchcovitch

Styling: Mauricio Ianes

Beleza: Celso Kamura

Trilha: Max Blum

Inspirações: Lampião e seu bando

Materiais: Linho com seda, tyvek, couro, nylon, lã cashmere, astracã falso e tricôs manuais

Cores: Preto

Highlights: Após apresentar uma coleção leve ao som de música erudita no Teatro Municipal, Herchcovitch consegue ir para vai para o outro extremo: o cabra-macho, daqueles que nada temem e são temidos. Os berros de Derrick Green, do Sepultura, marcaram o caminhar duro e rápido desses góticos do sertão. A coleção inteira preta é forte e traz alguns códigos da vestimenta de Lampião. Os cangaceiros não se importavam com o desconforto ou com a morte; estavam sempre prontos e por isso sua roupa era utilitária e com lugar para acessórios como cantil e o suporte de couro para carregar o fuzil. Nômades, precisavam levar tudo próximo do corpo. A estrela de oito pontas, que Alexandre mostrou em tricô, era o amuleto de sorte e proteção dos cangaceiros. As meias por cima das leggings representam às perneiras que eles usavam para proteger as canelas durante as andanças pelo mato. Muito boa a série da estampa de onça, ótimas opções de calças, paletós, trenchs, coletes e jaquetas. É delicioso ver Lampião através dos olhos de Alexandre, as conexões que ele faz, como ele descontrói e transforma o personagem sem perder sua essência. 



Publicações Anteriores



Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário: