Personalidade por Amanda Duarte

EU ESTAVA INQUIETA, na minha cama imaginando como seria o meu primeiro dia de aula no 2º ano. A Louise e suas amigas, Karen, Lili e Susi eram as mais populares da escola. Sabiam se divertir como ninguém, era incrível como eram tão parecidas em tudo, quase nunca discordavam.
Sempre me perguntei se há possibilidades de pessoas depois de conviverem tanto tempo juntas terem o mesmo gosto, vontades, opiniões. Afinal, cada um pensa de um jeito, não? É aquela famosa visão de ver o mundo, ou seja, as folhas da árvore daquela praça são tão verdes para mim, quanto pra você? E milhões de outros exemplos.
Notei-me cheia de pensamentos e acabei adormecendo.
São 06h00min da manhã. Meu celular começa a vibrar debaixo do meu travesseiro, pulo da cama e corro pro chuveiro. Visto meu uniforme, tomo meu chocolate quente, e aproveito a carona da minha mãe, que de cara, olha pra mim e diz:

 - Está tudo bem, filha?

- Porque não estaria? Relaxa mãe, é o meu primeiro dia no 2º ano. Acho que não vai ser tão ruim. – respondi.

De cabeça baixa e sussurrando, falei:

- Espero.

Chegando à escola me deparo com garotas de mini saia e blusas decotadas, enquanto eu estou com o meu jeans velho, camiseta e tênis. Que legal todos olham para mim...
Para mim? Tem alguma coisa errada. Estão olhando para mim? É isso mesmo? Não! Não é! Lá vem o “quarteto fantástico”. Liderado pela linda e loira Louise, admito.
Mas, talvez eu não seja boa suficiente para ser amiga delas. Ou, elas não sejam para mim.
De repente, a Louise olha para mim e diz:

- Oi Jess, sabe o que é mais incrível? Você não mudou nada. Vale ressaltar que as suas roupas também não!

Por incrível que pareça (não, não mesmo), suas amigas repetem em coro:

- Concordo!

É, esqueci de comentar que estudo com a Louise, Lili e Susi desde a 7ª serie, a Karen entrou na escola e no grupo ano passado, e mesmo assim, são tão absurdamente idênticas que parecem que são gêmeas. Digo idênticas, porque elas combinam roupa, maquiagem, penteado, até mesmo as falas. Fala sério, tenho minhas opiniões e isso é tão clichê quanto um filme de Patricinhas em NY.

Depois desse fato nem um pouco agradável, olho para a carteira mais isolada e sento. Como eu queria ser invisível...
 O fato é que às vezes as pessoas se unem por acharem que tem a mesma personalidade e acaba desprezando as pessoas “diferentes”, nesse caso eu, e acham que podem falar o que querem na frente de todos. Busca por popularidade? Não sei, talvez nem seja por mal...

Comentário(s)
3 Comentário(s)

3 comentários:

  1. Quero mt acompanhar a historia, ela escreve muito bem.. Parabens a todos! bjos

    ResponderExcluir
  2. Muito Boa a Historia!

    ResponderExcluir
  3. maravilhosa essa coluna! *-*

    ResponderExcluir

Deixe um Comentário: